Porquê treino animais?

É a pergunta que antes me faziam, mas que agora sou eu que a faço a mim mesmo. Qual seria a razão ou motivo para fazer o que faço diariamente?

Ser rico? Certamente o meu conceito de riqueza é diferente do seu, por isso não existe uma mensuração concreta sobre esse conceito. Para mim, ser rico é estarmos vivos, com saúde, com as nossas necessidades básicas suportadas e com memórias únicas que sempre suscitarão um sorriso de saudade momentânea.

Ser famoso? Quem quer treinar animais para ficar famoso pode desistir. O animal humano gosta, na sua essência, de demonstrações de poder, na sua maioria com a ostentação de símbolos ou troféus. O treino de animais vai além de truques, “obediência” ou demonstrações devidamente controladas e com cães bem selecionados. Treinar deve ser comunicação clara e uma perfeita compreensão da outra espécie sem a trazer para a nossa mentalidade social.

A união e discussão saudável dos treinadores como forma de todos evoluírmos? Ficaria sem dúvida impressionado com a resposta, uma ironia quando tanto se fala em compreensão, assertividade e entendimento, não é?

Ter tempo livre? Sem dúvida nenhuma que deste motivo pode desistir. Fazem muitos anos que não sei o que são férias, muitos meses sem saber o que é não pensar no trabalho e muitas semanas sem folgas. Quando não é trabalho, é estudo, pesquisa, projetos, e o restante tempo lembrar que também existimos.

O que então me faz treinar animais? Talvez a cumplicidade interespecífica que os momentos certos nos proporciona e que os saber aproveitar não existe explicação; O sorriso interior ao ver a felicidade das famílias junto dos seus cães a quererem aprender mais e mais; A procura diária de atualização profissional e ficar maravilhado com o que ainda temos de aprender; O passar o conhecimento obtido com um brilho nos olhos do assunto que estamos a falar, como se nós próprios estivéssemos maravilhados com o que ouvimos…

Resumindo: Não sei, mas adoro. E sabem que mais? Não são precisos motivos, basta nos sentirmos preenchidos com o que fazemos sem razão aparente. Façam o que vos preenche, e apenas sintam sem tentar responder. Siga a sua intuição e paixão. Carpe Diem.

Autor: Roberto Barata

Animal Trainer, Consultant and Instructor; Ethology Institute Tutor; Scientific and Popular Articles Writer; Animal FACS and Pets in Society (anthrozoology) Technical Researcher.